Voz do Consumidor

Ministério Público cobra apuração de 6,8 milhões de testes de COVID-19

Ministério Público (MP) cobra apuração de 6,8 milhões de testes de COVID-19, que perderiam a validade entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021. O prejuízo está estimado em R$290 milhões.

Segundo informações da Globo News, o subprocurador-geral do MP, Lucas Furtado, e o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) provocaram o Tribunal de Contas da União (TCU) ao entrarem com uma representação pedindo que o tribunal investigue o suposto prejuízo de R$290 milhões com a expiração de mais de 6,8 milhões de testes de COVID-19 comprados pelo governo de Jair Bolsonaro.

“Faz-se necessário uma vez mais representar à Corte de Contas [TCU] contra a atuação do Ministério da Saúde, sob cuja gestão a saúde pública no Brasil caminha para situação verdadeiramente desesperadora. Conforme já alertei em oportunidades anteriores, o governo federal e o Ministério da Saúde têm dado as costas para as recomendações técnicas de respeitadas instituições internacionais, baseadas em estudos científicos, preferindo as autoridades públicas apostarem na produção de medicamentos baseados meramente em crenças que beiram à superstição”, afirmou Lucas Furtado no pedido.

E completou: “Como já disse outras vezes e insisto, não há outro caminho a ser seguido, nesta pandemia, que não o apontado pela ciência e pela OMS. Qualquer atalho oblíquo que se tome, não amparado no conhecimento científico, representa uma opção pelo obscurantismo e pelas suas funestas consequências, inclusive prejuízos financeiros cuja investigação compete a essa Corte de Contas”.

Realização de testes durante a pandemia

Desde o início da pandemia foram realizados mais de 5 milhões de exames RT-PCR na rede pública. Considerado o teste para COVID-19 de maior precisão, ele indica se o vírus está ativo, ou seja, se a pessoa ainda está infectada e se pode estar transmitindo o vírus.

Em junho deste ano, o Ministério da Saúde estimava realizar 24,6 milhões de testes PCR até o fim do ano, mas há pouco mais de um mês para o fim de 2020, a testagem mal passou de 20% deste total.

Se essa meta está longe de ser batida, significa que estão sobrando testes no estoque do governo. Segundo informações publicadas pelo jornal O Estado de São Paulo, confirmadas pela TV Globo, 6,86 milhões de testes estão prestes a perder a validade.

Em nota divulgada pelo Ministério da Saúde, os testes estariam sob responsabilidade do Governo Federal. Além disso, o Ministério informou ainda que os testes são disponibilizados de acordo com as demandas dos estados.

Em contrapartida, ao ser questionado por uma seguidora em suas redes sociais sobre a veracidade das informações, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que todos os testes foram enviados aos estados e municípios e, os que não utilizaram deveriam prestar esclarecimentos.

Canoas (RS) pode perder mais de 23 mil testes

Segundo fonte que não quer ser identificada, Canoas(RS) é uma das cidades que pode perder cerca de 23.500 testes de COVID-19 que não foram usados.

Em meio à discussão sobre uma segunda onda da COVID-19 no Brasil, a notícia de que 6,86 milhões de testes comprados pelo Ministério Saúde para diagnosticar o novo Coronavírus perdem a validade entre dezembro deste ano e janeiro de 2021 causou repercussão no país.

O Rio Grande do Sul, assim como São Paulo, já registra aumento significativo no número de internações por causa da COVID-19 nas últimas semanas, o que acendeu o alerta no estado.

Na 29ª rodada do modelo de Distanciamento Controlado, o RS está com oito regiões em bandeira vermelha (risco epidemiológico alto), entre elas Canoas, Capão da Canoa, Erechim, Ijuí, Novo Hamburgo, Palmeira das Missões, Passo Fundo e Uruguaiana.

No município de Canoas, os dados atualizados até a tarde desta terça-feira (24) apontavam 10.997 casos confirmados da doença (136 novos) e 366 óbitos (6 novos óbitos).

Aplicação dos testes

Em uma população de cerca de 320 mil habitantes e uma das mais altas taxas de mortalidade – 105,6 a cada 100 mil habitantes, Canoas aplicou apenas 43.511 testes, de acordo com informações da Secretaria Estadual de Saúde.

Apesar da grande demanda, Canoas está entre as cidades brasileiras que possuem testes próximos da data de vencimento e que poderão ser descartados. Parte do lote vence na próxima segunda-feira, dia 30 de novembro. São 23.500 testes nessa situação.

Na contramão da situação alarmante relacionada à COVID-19, Canoas fechou os hospitais de campanha montados para atender exclusivamente pacientes com sintomas ou confirmação do novo Coronavírus.

Eram quatro estruturas, duas foram desativadas mesmo antes de serem utilizadas e as outras duas, que funcionavam ao lado das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) Boqueirão e Rio Branco, foram desativadas apenas cinco meses após a inauguração. O custo com essas estruturas totalizou R$ 3,5 milhões, por 90 dias, aos cofres públicos.

veja também:

Relacionamento Abusivo. Veja 10 sinais de que você pode estar em um sem perceber

Comprou o produto pela internet? Venha conhecer quais são os seus direitos!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Notícias
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments