Voz do Consumidor

Dez dicas para fugir das pegadinhas da Black Friday

Chega o período de Black Friday e com ele os memes ironizando as falsas promoções começam a ressurgir. Saiba como fugir destas pegadinhas.

Chega o período de Black Friday e com ele os memes ironizando as falsas promoções começam a ressurgir. #blackfraude #metadedodobrodopreço são algumas das zoações de internautas. Saiba como fugir destas pegadinhas.

1: pesquise os preços antes do início da promoção. Assim você pode fugir daqueles aumentos de última hora que algumas empresas fazem para depois dar uma falsa sensação de desconto maior. O famoso a metade do dobro do preço.

2: desconfie de promoções recebidas em seu WhatsApp, SMS, redes sociais ou e-mails. Vários golpes usam estes contatos para te encaminhar a sites falsos a fim de captar seus dados ou fazer vendas falsas.

3: fique atento ao nome do site no navegador, geralmente os golpistas trocam uma letra no endereço do site para tentar passar por lojas famosas. Desconfie também de lojas desconhecidas.

4: algumas lojas mal intencionadas podem aumentar o valor do frete para compensar o desconto dos produtos. Fique atento ao confirmar as compras e faça uma simulação do frete antes de prosseguir.

5: alguns produtos podem mudar de preço na hora da confirmação da compra. Mesmo com um generoso desconto, na hora de comprar o produto muda de preço. Fique atento, pois isso vai contra o direito do consumidor.

6: print na tela em caso de fraude ou qualquer situação diferente da ofertada. Assim fica mais fácil denunciar no Procon.

7: Confira sites de acompanhamento como o Black fraude, criado pela startup: Reduza, que permite você copiar o link no mecanismo de busca do site e identificar fraudes e golpes, se aquela é a página oficial da marca, além de comparar os preços com outras instituições.

8: Desconfie de preços extremamente baixos, muitos golpes trazem preços incríveis no intuito de promover o “Phishing”, ou seja, a captação de seus dados.

9: A presença do cadeado HTTPS não necessariamente é garantia de site seguro, uma vez que vários sites clonados usam endereços (URLs) com protocolo HTTPS.

10: Em caso de sentir se lesado denuncie ao Procon, caso tenha dificuldade mande um WhatsApp para o Voz do Consumidor que a Dra. Ana Carolina Caram te responde: (031) 9 9407-6051.


Leia também:

Procon diz: Apple tem que fornecer carregadores

Grandes lojas são flagradas praticando maquiagem de preço na Black Friday

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments