Voz do Consumidor

Grande BH ganhará central de vendas de produtos agrícolas

central de vendas de produtos agrícolas em BH

Novidade para os moradores de Belo Horizonte, Venda Nova e Ribeirão das Neves: em 2021, as regiões ganharão uma central de vendas de produtos agrícolas. O estilo mercado de origem tem a vantagem de ser mais em conta e ainda traz oportunidade de mais empregos.

Bairros beneficiados em BH

A novidade, que terá investimento de R$115 milhões, chega em cinco centros comerciais do Bairro Olhos D’Água, na Zona Sul de BH, Padre Eustáquio e Santa Tereza. A inauguração está prevista para o segundo semestre de 2021.

4 mil pontos de negócios

De acordo com os gestores do empreendimento, estão previstos 4 mil pontos de negócios, sendo 400 no Bairro Padre Eustáquio, 500 em Venda Nova, 1.500 no município de Ribeirão das Neves, e 800 no Bairro Santa Tereza, além de mil na Zona Sul de BH.

Em Venda Nova, a unidade será no Shopping Uai. A de Ribeirão das Neves será em frente à fábrica Augusta Imóveis, na Avenida Renato Azeredo.

Formação de empregos

A central de vendas de produtos agrícolas, denominado de mercado de origem pode ajudar na formação de empregos, sejam diretos ou indiretos. Essa maneira de vender produtos agrícolas direto para o consumidor sem precisar de um atravessador pode gerar diretamente 4 mil empregos, além de multiplicar a empregabilidade no campo.

Exposição de produtos sazonais

Além dos pontos espalhados em lojas de 20 metros quadrados pelas regiões citadas acima, a ideia do empreendimento é ter um espaço para exposição e venda de produtos sazonais durante a safra, sem obrigatoriedade de pagamento por locação.

Também, os aluguéis podem ser fixos ou temporários, sendo pagos conforme vendas do produtor. Se não vender, não paga. Hoje o produtor paga 10% no valor das vendas.

Valor mais em conta

Vantagem para o consumidor e produtor com valor mais em conta. Os preços ficarão mais baixos do que aqueles encontrados em supermercados, além de beneficiar o produtor, que terá melhor margem de lucro.

Agora, pode receber a metade do valor da mercadoria, algo não encontrado, por exemplo, quando um produto é vendido a R$100 nos supermercados. Neste caso, o produtor fica com apenas R$14.

Produtos colhidos pela população que cumpre pena

O mercado de origem em Neves, próximo a Belo Horizonte, terá produtos colhidos e plantados também pela população que cumpre pena nos presídios do município.

Além dessas opções, o mercado conta com variedades: desde cervejas artesanais a venda de artesanatos, além de gastronomia, lazer, espaço para beleza e entretenimento infantil. Tudo feito para o consumidor ter vantagens e encontrar um espaço com tudo um pouco.

Já em Moeda, além dos pequenos agricultores, o mercado também traz oportunidade para as famílias quilombolas representarem o produto e plantio deles, aumentando assim a renda e a empregabilidade.   

Por Lara Hinkel

Leia também:

Conta de luz mais barata em 2021

Passagem de ônibus está mais cara em BH

Planos de saúde sobem quatro vezes mais em 2020

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.